Páginas

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Menos rótulos, mais respeito

Essa onda de preconceito tem cultivado um terreno perigoso entre as pessoas. Desencadeada com a campanha eleitoral fez brotar sementes de intolerância que estão atingindo um nível preocupante. Que colheita terá com esse clima? Tenho escutado coisas assustadoras sobre nordestinos, sobre divisão do país, entre outras “pregações” de argumentos preconceituosos de quem se considera “melhor”. Pessoas que utilizam rótulos para designar as pessoas como “ignorantes” “falsos” e outros que nem vou mencionar. Quem rotula restringe seu ângulo de visão. Quem privilegia o respeito expande sua percepção.

Sei que esses ataques preconceituosos são de uma minoria e espero que continue sendo. E por mais que nos afetem essas citações, é melhor não dar espaço para raiva e alimentar essa energia. Isso não quer dizer que devemos nos calar diante dessa falta de respeito até porque é crime. Mesmo se o sangue ferver, vamos conter nossos ânimos para não retrucar no mesmo tom. Como diz Jean de La Fontaine: “Paciência e nada de pressas fazem mais do que a força e a ira.”

sábado, 25 de outubro de 2014

Sobre as campanhas eleitorais e o voto

As acusações dão o tom nas campanhas. Só que nessa campanha ganhou dimensões assustadoras. Ao invés de debater problemas reais apontando soluções, a base do discurso é tentar atingir o outro. Será mesmo que essa é a fórmula pra mostrar quem é melhor? Penso que só estimula o preconceito e outros fatores negativos. Já ouvi tantos absurdos durante esse processo eleitoral que causam indignação e nojo. Preferi não retrucar, optei pelo silêncio. Basta dizer que sou nordestina SIM com muito orgulho e que eu raciocino SIM. É mais fácil generalizar. Na minha simples percepção, Rótulos diminuem a visão, restringem o espaço do conhecimento. Respeito engradece.

O que se vê é uma disputa de partidos que levanta questões de rico contra pobres. Acredito que o contexto deve ser maior. Vivemos em comunidade e muitos problemas comum como a violência afeta todas as pessoas. Pensar restrito não resolve nada, tem que expandir o horizonte. Isso é um discurso pequeno diante da grandeza do Brasil. Oferecer condições melhores para o país crescer é fundamental já que temos potencial para que esse crescimento aconteça. Se o país cresce as oportunidades são multiplicadas.

Acredito que há sim outro caminho, o que convoca o eleitor a questionar, é questionando que avançamos e é cobrando os compromissos dos candidatos eleitos que exercermos nosso papel de cidadão e participamos da construção permanente da democracia. Sua ação é seu reflexo. Não é só votar e pronto, o voto precisa ir além.
Crédito imagem: Blog Compromisso Consciente

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Minha criança eterna

Sou rodeada de crianças que alegram minha vida. Cresci na companhia de irmãos, tantos primos que eu perco a conta e uma ruma de amigos de infância. Aliás, desse período guardo recordações sensacionais que povoam meus sonhos. Os pulos da canoa para demorados mergulhos no açude. Ficava ali nadando e contemplando a beleza dos raios solares refletidos da margem até o mais profundo que conseguia mergulhar. E que delícia quando eu descia entre as bananeiras logo cedo e chegava ao trecho de areia, perto de onde estava ancorada a canoa e me sentava ali para ouvir o canto das marés. Sim, eu converso com as águas até hoje e perco a noção do tempo. E o que dizer da delícia de subir em árvores e fazer dos galhos minha casa imaginária. Não tem melhor morada com sombra, folhas, flores, frutos e pássaros que vem nos visitar. E minhas lindas bonecas de sabugo de milho com seus cabelos dourados balançando ao sabor do vento.

Sim, tive minhas privações na infância, como muitas crianças do sertão. Só que sinceramente elas não deixaram marcas danosas. Lembro é com alegria das visitas de vozinho que nos levava mantimentos e da alegria de falar ao telefone com meu pai distante em São Paulo por alguns períodos. Melhor ainda era quando ele retornava. O que fica é tudo que é especial, que toca a alma, que enternece o coração e posso dizer com letras gigantescas que tive na minha infância e continuo a ter a presença de muito AMOR em minha vida. E é isso que faz toda diferença na vida da criança que continuamos a ser em diversas gerações. E para parabenizar minha criança, meu melhor presente é ir ao sertão, visitar minha terra, ver o meu povo, brincar e sorrir até dar câimbra nas mandíbulas e a barriga doer. É que sorriso não falta por lá.
Feliz dia das crianças!