Páginas

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Você é capaz de vencer seu confortável inimigo

Ela é uma velha conhecida de muitos, a senhora “zona de conforto”, essa confortável posição de que tudo está “normal”, digamos dentro do script e que por vezes em nada representa nossa natureza que clama por mudanças. É que mudar traz desafios que precisam ser encarados, sem máscaras, para ter o panorama claro da situação. Tem que almeje grandes mudanças, daquelas radicais e tem quem comece por uma pequena alteração e descobre que ela desencadeia uma onda de ações. A força da mudança ganha proporções incríveis quando é acionada, digo por experiência própria.

Já ouvi muitas pessoas falando sobre seus sonhos com brilho no olhar e depois terminar a fala com ar de tristeza dizendo que para isso acontecer tem que largar aquele emprego “certo” que é “pra toda vida”. E será que vai ter toda vida para fazer o que ama depois que se aposentar? Se colocar como coitadinho é muito comum. Aliás, um aliado de peso da zona de conforto é o papel de vítima. É muito mais fácil colocar culpa no outro do que assumir sua culpa. É mais cômodo colocar no vilão tempo ou falta dele a não realização de seus objetivos. Se você decidir agir diferente, aceitar sua culpa, perdoar a si mesmo, determinar aonde quer chegar, reconhecer seus bloqueios e assumir um compromisso de mudança, tudo pode ser modificado.

Há decisões que mudam completamente o curso de nossa história e elas se tornam reais quando escolhemos com o coração. Certo ditado que minha mãe sempre diz: “aquilo que palpita o coração” faz todo sentido nesse contexto. É exatamente o que faz pulsar nosso coração que dá sentido aos nossos passos. Se a mudança que deseja estiver coerente com sua essência, então é só começar. Sim, não é fácil mudar. Há uma resistência feroz e realizar o primeiro passo é um divisor de águas.

Enfrentar você exige uma força poderosa. Sabe aquela conversa de deixa para amanhã e o amanhã se estende por muito tempo, é uma forma de procrastinar sabotadora. Aprendi que não precisa esperar a segunda-feira, o começo do mês ou ano, é preciso começar já. Nesse processo os hábitos são vitais. Banir um hábito ou reformular é tarefa árdua, mas totalmente possível. Com persistência vamos longe o suficiente para alterar o roteiro e como é recompensador quando enxergamos o avanço da caminhada. O passo a passo se torna um ritual de melhoria contínua.

Esse confortável inimigo que sabota suas mudanças tem solução e ela está ao seu alcance. É aqui dentro que temos aquela amiga divina chamada fé que nos faz acreditar que tudo é possível. A fé alimenta nosso caminho, engradece nossa determinação, motiva a disciplina e se torna presença marcante em tudo que concretizamos. A fé é fundamental, é uma luz que clareia a escuridão do medo, que amplia nossa visão e nos faz ver o quanto somos capazes quando confiamos. É uma sensação indecifrável e que conseguimos vê-la concreta em cada etapa. A vitória nasce e torna-se real quando você escolhe o caminho e assume a direção. Vá em frente!

Nenhum comentário: