segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Sabor amizade

Já são 24 anos que moro em São Paulo. Hoje, refletindo sobre a alegria do encontro do último sábado com amigas que, assim como eu, nasceram na Serra do Araripe, veio à recordação de um trabalho que fiz na faculdade com o tema sertão e da fala da professora ao me parabenizar pela criatividade do conteúdo. A Celestine acrescentou por escrito ao lado da nota: “fiquei emocionada em perceber o orgulho que tens de suas raízes e da poesia em suas letras que retratam um pedaço de sua história que agora faz parte da minha também”. Sim, um dos meus grandes aprendizados é valorizar minha essência. E pense em quantas veredas enlaçadas há nesse sertão que ultrapassa fronteiras. O amor ao sertão é fortalecido com laços perenes com gente da minha terra, minha família e amigos.

Eu amo São Paulo e fico imensamente feliz em encontrar amigas da infância que também moram por aqui. Lembro-me de nossa turma com carinho, algumas ficaram por lá, outras fincaram morada em outras cidades, cada uma seguindo seu caminho e construindo sua estrada. É sempre uma grande alegria quando encontro algumas amigas que estão por aqui para nos divertimos com as lembranças de nossa terra e compartilhar nossas experiências. São especiais encontros com sabor de amizade e cheiro de vida.

E por falar em sabor, a gastronomia é enfeite especial. Rapadura, baião, farofa, galinha, raizada e a grande surpresa Cajuína, que delícias. Obrigada pelo almoço, companhias, sorrisos...
Amizade com sabor ESPECIAL.Porque tudo que é especial faz diferença em nossa vida

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Meu caçula elemento surpresa

Sim, ele é a mais linda surpresa da família. Ao saber da gravidez, com quase 3 meses de gestação, levei um susto daqueles. Fiquei tão espantada quando recebi a notícia que minha expressão de espanto impressionou meu marido que disse: Nossa, parece que está recebendo de notícia de morte e não de vida! Sim, só que realmente foi uma notícia com exclamação maiúscula. Quando soube que seria um menino, meu sonho azul, ficamos todos radiantes com essa criança que hoje completa minha tríade maternal e preenche nossa família com ainda mais energia de amor.

E que energia ele tem. É uma fera chutando com esquerda bola e tudo que vê pela frente. Nossa casa é uma bagunça alegre por todos os cantos. Esse pequeno menino com seu olhar azul esperto e seu jeito tocante de sorrir, ilumina nosso lar com sons, imagens, cenas e sensações que ampliam a certeza de que a vida caça jeito de nascer e trazer mudanças que alteram o curso de nossa história por toda eternidade.

Meu menino Rei Arthur tem uma coroa com aura luz que emana vibrações por onde passa. Sou a pessoa mais suspeita do mundo para falar e falo com convicção plena de que esse meu anjo veio para abrilhantar meu caminho com muito aprendizado. Ele todo dia inspira meus passos expressando de forma sutil: mãe, vamos lá, coragem, você ainda tem muita energia pra tocar essa jornada.

E, embora tenha dias que eu me sinta em frangalhos por conta do cansaço, ao sentir essa conexão amorosa com meu filho em diversos momentos, mas, especialmente na hora de colocar ele pra nanar, eu acredito com todo fervor que sim, eu tenho uma estrada pra trilhar e aprender que cada passo, por menor que seja, é uma grande vitória. E sinto uma gratidão enorme por este menino presente surpresa que desperta em minha alma essa chama viver, seguindo adiante cultivando o que tem de mais valor neste mundo: AMOR.

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Minha especial criança, a filha do meio

Depois de 14 anos, minha Isa chegou. Uma nova menina, a irmã da Bruna. Tão querida, tão diferencial, enxerga além com a visão aguçada da sensibilidade, tem uma natureza refinada, minha proximidade elementar. Sim, ela é menina das águas e observá-la brincando em seu elemento é mergulhar em marés com cheiro da mais pura alegria. É uma criança criativa com uma imaginação fértil e uma memória admirável. Ela recorda com detalhes marcantes fatos, lugares, sensações.

Menina que gosta de coisas miúdas, bonecas pequenas, trequinhos e do seu canto. Sim, ela tem xodó por seu espaço. Acorda cedo e dorme cedo. Tem seu ritmo único regido por uma energia vibrante. Quando vem o cansaço e sono fica dengosa e logo adormece como anjo. E a noite seus sonhos ecoam pelo quarto em falas e sorrisos. Inventa “estórias” como a do Cacau que hoje corre no céu atrás das nuvens. Sim, o Cacau é eterno porque tudo que é relevante torna-se eternidade no coração de quem sente amor verdadeiro. E isso a Isa sente de modo intenso.

A filha do meio, amada pela primogênita mais velha, e pelo menor Arthur com quem brinca muito. Apesar do ciúme natural, o que sobressai é seu cuidado com o Tutu. Se ele chora com dor, suas lágrimas acompanham. Os dois reunidos na arte de brincar rendem gargalhadas sonoras, canto alegre que contagia o ambiente com felicidade autêntica. Seu jeito ímpar de abraçar é comovente. Seu abraço é apertado e seu beijo doce. Quem ganha o seu carinho, é presenteado com um afeto valioso. Minha preciosa Isa é um laço cor de rosa que costura o tecido de nossa família, tecendo uma colcha de retalhos colorida com o mais precioso AMOR.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Minha criança primogênita

Minha experiência maternal traz imensos ensinamentos. Tenho 3 filhos e cada um em um tempo diferente, com situações distintas. Com a primogênita que hoje já é uma mulher, fui mãe muito cedo e fiz o possível, do meu modo meio atrapalhado, na medida do tempo e espaço da época, ser uma mãe presente, podem ter faltado alguns aspectos, mas tenho plena consciência de que sempre teve em abundância muito amor, em variados formatos. Lembro-me com recordação palpitante do seu olhar vivo, da graça na dança, do sono profundo, do sorriso largo, do cheiro de boa noite e de como ela gostava de dormir tendo a certeza de que eu estava ali, olhando na sua direção.

Por um longo período fiquei questionando se teria ou não outro filho, principalmente, porque sentia certa culpa da ausência. Com o tempo aprendi que pouco é muito, e que a qualidade amplia a quantidade, tornando cada minuto valioso. Sim, tudo que é especial faz diferença em nossa jornada. Hoje quando ouço a Bruna recordar de nossos passeios ao teatro e outras coisas assim, sinto muita gratidão porque sei de todo esforço que fiz por todo passo que trilhamos juntas.

Hoje ela já não anda no banco de trás do carro, está na direção do carro e de seu caminho. Já cruzou fronteiras para outros destinos e tenho plena convicção de que sua estrada será repleta de muitas histórias que irá me contar sempre que vier me visitar. Sim, hoje ela é a turista da casa e, de vez em quando, me sinto órfã da minha menina, mesmo tendo outros dois pequenos pra cuidar, coisas de mãe. Ela será sempre minha criança. E até isso me ensina muito, me faz treinar saudade feliz e compreender que suas asas a conduzirão a voar por muitos horizontes aprendizes e, que, onde ela estiver, eu também estarei. E rezo muito pedindo que Deus guie cada estação de sua viagem. Sei que estamos próximas naquilo que é mais sagrado, na morada coração. E vou continuar indo ao seu quarto vazio dar o cheirinho no travesseiro e sentir o aroma de sua presença no cheiro maternal.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Sobre preconceito

É incrível como o veneno do preconceito está enraizado na sociedade. Todos os dias um ou mais casos são publicados em diferentes mídias e também ouvimos relatos de pessoas próximas sobre o assunto. Muitas pessoas já sofreram e continuam a sofrer na pele, alma, mente e coração, esse veneno dolorido dos mais diversos preconceitos que envergonham nossa espécie nos mais variados cantos do mundo. Penso que estamos envenenando nosso planeta de variadas formas, o preconceito é um deles.

Eu enxergo a diversidade como uma grande riqueza e, infelizmente, observo no cotidiano as pessoas enxergarem com a lente do inferior ou superior. Ao invés de semear a igualdade e o respeito, multiplicam a desigualdade e a discórdia. Seja lá de onde for, carregamos consigo nossas raízes que são ampliadas quanto agregamos o diálogo e o intercâmbio com outras culturas. Sinto muito pesar quando ouço dizerem de modo pejorativo que mineiro é isso, pernambucano é aquilo, carioca é assim, o cearense é assado. E fico extremamente alegre quanto ouço de uma forma oposta, ressaltando a beleza do traço de cada lugar, relevando que o diferencial é uma preciosidade.

Esses dias eu atendi um cliente que depois de ouvir a resposta sobre sua consulta indagou: onde fica a Marcos Turbo? Respondi: em Osasco, São Paulo. E ele prosseguiu: Só que você não é paulista não! Respondi: não, sou pernambucana. O cliente respondeu: logo vi que era do Nordeste, com esse sotaque e alegria na fala, dá até pra sentir seu sorriso. O sorriso se tornou gargalhada agradecida. E o cliente finalizou agradecendo as informações e depois retornou para fechar o pedido. Sim, tem pessoas com outra visão. Ele sinalizou um dos traços do povo nordestino que aprecio muito, a alegria. Claro que já passei por situações contrárias, só que esse atendimento acendeu minha esperança de que cada vez mais pessoas valorizem o respeito à diversidade ao invés de enaltecer o preconceito.

A história é recheada de acontecimentos que evidenciam o quanto o preconceito destrói vidas e corrói as relações. Fica a esperança de que a natureza de que “somos todos um” possam conectar mais e mais corações e fazer com que as pessoas sejam agentes transformadores de um mundo melhor que priorize o respeito porque o diferente está na essência da vida.
Crédito imagem: Facebook Hierophant

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Lua da madrugada

Hoje eu acordei às 4h30 com o chamado da Isa. Desci para, como de costume tomar o remédio, e logo já ouvi os passos da Isa na escada. Já se aconchegou no sofá, ligou no Discovery Kids e pediu seu café. Aproveitei e já coloquei roupas na máquina de lavar, fui organizando as mochilas da escola, sim é férias e eles estão no plantão, fiquei dengando a Isa um pouco e continuei as tarefas matinais. Por volta das 5h40 fui levar a bagagem para o carro e fui premiada com uma vista magnífica. Fiquei minutos contemplando a Lua Minguante adornando o círculo com sua luminosidade cintilante e enfeitando a madrugada esperando pelos primeiros raios da manhã. Neste momento senti a presença de personagens essenciais palpitando em meu coração. Amigas atemporais, meus irmãos, minha mãe e meus avós.

Instantes em que abraço o céu com o olhar. Entrei em casa, enrolei a Isa na manta e fomos ao jardim para compartilharmos abraçadas esse luar, ela ficou encantada com a Lua de sua natividade, a preferida da minha primogênita Bruna. Em silêncio, juntas, abraçadas na comunhão.


Bom dia. Inverno paulista. 05/07/2013

terça-feira, 7 de maio de 2013

Silêncio amigo

Um tempo precioso em que o silêncio tem sido um companheiro de muitas vozes, das minhas vozes, do meu diálogo interno. A mais pura proximidade é a que temos conosco, no silêncio ouvimos a voz do nosso espírito, a força da intuição, a presença do amor, a energia do perdão, a chama da oração que aquece nossa alma com leveza. E, de repente, uma canção brota, uma lembrança vem, uma lágrima escorre, um sorriso aflora. O silêncio é um bálsamo.

Nesta época de urgências conectadas, é um privilégio sentir a graça do silêncio enveredar cada dia com mais profundidade no cenário de minha rotina.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Notícia de uma morte

Ontem, 01/05, fui ao Sesc Pinheiros com meus 2 filhos pequenos e acompanhadas e uma amiga com suas 2 filhas. Crianças reunidas curtindo cultura. Cheguei primeiro e fiquei observando o movimento do vai e vem de pessoas tão diferentes. Feriado e muitas famílias e amigos escolheram o Sesc para curtir a folga no meio da semana. Quando minha amiga Carla pegamos o elevador e descemos no 7º andar. Não era o andar correto. Descemos e solicitamos o elevador para descer. Quando a porta abriu e a senhora que faz esse trabalho de conduzir as pessoas para todos os andares estava ao telefone. Nunca vou esquecer essa cena.

Ela estava recebendo uma notícia triste que abalou todo seu corpo. Seu irmão morreu. A forte emoção fazia seu corpo inteiro tremer, sua voz embargada e cortada ao telefone. Eu e minha amiga a amparamos, ela conseguiu tomar um gole de água, as crianças pequenas sem piscar assustadas, entramos no elevador e a levamos ao 3º andar. As companheiras de trabalho a socorreram nesse momento de extrema dor. E eu roguei a Deus que a confortasse, embora saiba que nesse instante não encontramos nenhum amparo e que a dor da perda vai sendo moldada com o tempo. Enterneceu ainda mais meu coração ela conseguir perguntar entre soluções por sua mãe: “E mamãe?”

Seu irmão se foi pela estrada que nos espera. Ele continua vivo no amor do seu coração. Vida-morte-vida que nos acompanha em todos os lugares.

sábado, 27 de abril de 2013

Ausências e presenças

Eu aprendo cada vez mais que a dualidade é um ensinamento cotidiano. Nessa travessia a ausência e presença têm sido palavras-ações reveladoras. As atitudes são esclarecedoras e indicam que na caminhada aprendiz há lições que, por mais doloridas que sejam, são fundamentais. Nessa trilha há passos que aproximam e distanciam e dentro de cada contexto vamos lidando com tristezas, descobertas, decepções e alegrias. Nesse filtro seletivo nosso coração é convidado a limpar, perdoar, renovar. E, enxergamos que tudo é um processo de desapego, entrega, perdas, ganhos, escolhas, de deixar morrer para reviver. E nesse ciclo vida-morte-vida seguimos marcando nossas cruzes e estrelas.

Também vejo com muita gratidão que a vida é generosa em nos conceder a graça de colocar em nossa jornada anjos com os quais tecemos laços refinados. E como esses anjos são especiais. Marcam nossa história com atitudes que ficam registradas em nosso livro coração por toda eternidade.

O silêncio tem sido uma companhia. E assim escuto minhas vozes, permito aflorar minhas lágrimas e sigo em frente com a certeza de que conviver com ausência e presença será um desafio permanente.

costurando capítulos do meu livro coração

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Novo ritmo

No primeiro dia de 2013 eu inaugurei um novo ritmo, ou melhor, retomei um antigo hábito que amo. Comecei o ano fazendo caminhada e que delícia andar. Primeiro me exercitei pulando corda e recordando como brinquei de pular corda na infância. Um novo começo com ritmo moderado que gradativamente será ampliado, passo a passo, dia a dia porque o ano está apenas iniciando. Caminhar é um exercício que amo e contribui para minha saúde, qualidade de vida e bem-estar.

Andei na companhia da Isa e do Arthur. Um incentivo duplo para seguir em frente. Uma correndo na frente, o outro no carrinho fazendo graça e as voltas sendo completadas. E que maravilha a água fresca e o banho refrescante depois de uma caminhada de 30 minutos. Um percurso recheado de pensamentos positivos, mantras de um novo amanhã. Uma lembrança interessante revelando os favoráveis links que a leitura costura, recordei de uma crônica que li da Martha Medeiros intitulada A Fórceps: “tem coisas que devemos abrir espaço a fórceps, ou corremos o risco de serem extinguidas de nossas vidas”

É isso, tem atividades que realizarei nem que seja “a fórceps”, afinal, é a ação que dá forma a cada resolução de ano novo. É ano de fazer acontecer! Feliz 2013

Qual caminho você escolhe?

Treine a mudança de seu pensamento. Não desanime. Seja persistente. “Falar é fácil, difícil é fazer” “Ninguém me ajuda. Tudo dá errado” ...