quarta-feira, 20 de abril de 2016

Sobre a sessão de horror da Câmara no dia 17/04

Refletindo sobre o que escreveu Marcelo Dalla, o que aconteceu domingo é um retrato do quanto esse processo de limpeza precisa avançar. E um dos personagens desse enredo deprimente foi a deputada Raquel Muniz, que aos pulos e gritos de SIM fez homenagem ao seu marido, o prefeito de Montes Claros Ruy Muniz, citando-o como exemplo de bom gestor. E no dia seguinte ele é preso pela PF por processos em que sua “exemplar gestão” tem graves acusações de fraudar dinheiro da saúde pública. Esse é o retrato de muitos políticos e suas associações em vários estados e municípios do país. É muita hipocrisia, corrupção. E o que dizer de Bolsonaro? Homenagear torturador com seu voto? Que retrocesso e que decepção ver quantas pessoas apoiam esse ser inominável. E Eduardo Cunha? Dá pra ver que tem muita gente com “rabo preso” e recebendo alguns $ de suas contas na Suíça e em outros paraísos fiscais.

Não é a toa que a imprensa internacional debochou e ficou estarrecida com esse episódio lamentável protagonizado pela maioria dos “nobres” deputados. Eu vi 5 votos e senti tanto nojo e vergonha que desliguei a tv. Nas últimas eleições não votei em Deputados. Penso que é preciso alterar com urgência essa estrutura porque muitos que estão ali pela legenda não têm o menor compromisso com a nação. Apenas com seus interesses. O episódio de domingo mostrou bem isso. Até beijo pra neta que fez aniversário. Que ridículo. Espero que a imprensa nacional faça também uma reflexão de seu papel, tem horas que os princípios do jornalismo passam longe. Aliás, faz tempo que não assisto tv, um programa de culinária, decoração e turismo vez ou outra e, claro, os desenhos infantis na companhia dos meus pequenos. E que esses acontecimentos sirvam de lição para que cada um de nós melhore também na hora de votar. Essa é uma grande oportunidade de aprendizado. E que venham novas eleições!

Nenhum comentário:

Qual caminho você escolhe?

Treine a mudança de seu pensamento. Não desanime. Seja persistente. “Falar é fácil, difícil é fazer” “Ninguém me ajuda. Tudo dá errado” ...