quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Minha criança primogênita

Minha experiência maternal traz imensos ensinamentos. Tenho 3 filhos e cada um em um tempo diferente, com situações distintas. Com a primogênita que hoje já é uma mulher, fui mãe muito cedo e fiz o possível, do meu modo meio atrapalhado, na medida do tempo e espaço da época, ser uma mãe presente, podem ter faltado alguns aspectos, mas tenho plena consciência de que sempre teve em abundância muito amor, em variados formatos. Lembro-me com recordação palpitante do seu olhar vivo, da graça na dança, do sono profundo, do sorriso largo, do cheiro de boa noite e de como ela gostava de dormir tendo a certeza de que eu estava ali, olhando na sua direção.

Por um longo período fiquei questionando se teria ou não outro filho, principalmente, porque sentia certa culpa da ausência. Com o tempo aprendi que pouco é muito, e que a qualidade amplia a quantidade, tornando cada minuto valioso. Sim, tudo que é especial faz diferença em nossa jornada. Hoje quando ouço a Bruna recordar de nossos passeios ao teatro e outras coisas assim, sinto muita gratidão porque sei de todo esforço que fiz por todo passo que trilhamos juntas.

Hoje ela já não anda no banco de trás do carro, está na direção do carro e de seu caminho. Já cruzou fronteiras para outros destinos e tenho plena convicção de que sua estrada será repleta de muitas histórias que irá me contar sempre que vier me visitar. Sim, hoje ela é a turista da casa e, de vez em quando, me sinto órfã da minha menina, mesmo tendo outros dois pequenos pra cuidar, coisas de mãe. Ela será sempre minha criança. E até isso me ensina muito, me faz treinar saudade feliz e compreender que suas asas a conduzirão a voar por muitos horizontes aprendizes e, que, onde ela estiver, eu também estarei. E rezo muito pedindo que Deus guie cada estação de sua viagem. Sei que estamos próximas naquilo que é mais sagrado, na morada coração. E vou continuar indo ao seu quarto vazio dar o cheirinho no travesseiro e sentir o aroma de sua presença no cheiro maternal.

Nenhum comentário:

Qual caminho você escolhe?

Treine a mudança de seu pensamento. Não desanime. Seja persistente. “Falar é fácil, difícil é fazer” “Ninguém me ajuda. Tudo dá errado” ...