Páginas

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Festa da criatividade

Fico encantada com o desfile das Escolas de Samba em São Paulo e no Rio de Janeiro. É uma festa da criatividade em variadas formas e linguagens. Cada escola desfila uma história na passarela do samba. Um enredo que se desdobra em muitas expressões para mostrar uma leitura de um determinado tema. É uma festa da arte cantada, coreografada, dançada, desenhada nas alegorias e fantasias e escrita na letra do samba que contagia.

O Carnaval é o ritmo que dá o tom para o enredo ganhar vida no coração dos integrantes das escolas e que toca os sentidos do público. É mesmo uma paixão e um fascínio essa festa tão popular e tão marcante no calendário do Brasil. Tem samba que se torna uma oração e se torna sagrado ao longo de muitos e muitos carnavais. Embala gerações e fica marcado na trajetória da Escola. Esse ano a Imperatriz apresentou a diversidade da fé na Sapucaí e fez da arte um retrato do samba-oração desfilado na passarela do carnaval e da vida de tantas pessoas no Brasil e no mundo.

A Unidos da Tijuca extasiou o público com a Comissão de Frente. Um espetáculo surpreendente para retratar o além muito além dos segredos. Uma obra de arte a céu aberto envolvida pela alegria do samba. Um exemplo da incrível criatividade que fascina. E por falar em fascinante, as histórias que fascinam nossa imaginação, as que tanto nos ensinam e as infinidades de aventuras e conhecimentos dos livros desfilaram suas páginas no enredo da Salgueiro.

O chocolate invadiu o Sambódromo no Anhembi e quantas delícias extraídas do cacau. O cheiro de Rosas de chocolate inundou o céu e até as estrelas ficaram enfeitiçadas pelo aroma dos deuses. É mesmo Ouro tocar o sentido tão olfativo que nos faz sonhar e delirar. E quantos mestres há na história da humanidade e que faz diferença na nossa vida. Mestres em distintas mitologias, culturas, conhecimento e significados. Mestres cantados e aplaudidos pela Mancha Verde como os do samba. E como diz a letra, é sempre sábio que sejamos um “eterno aprendiz”.

E fiquei muito feliz com a homenagem da Pérola Negra ao notável Rolando Boldrin que sempre mostra no programa Sr. Brasil e em tantos outros projetos realizados ao longo de sua trajetória, a riqueza de tirar da gaveta a beleza e o valor da arte brasileira. E quanta magia na Verde e Rosa Mangueira que encerrou o desfile no Rio sacudindo a Sapucai com a diversidade da música brasileira. Lindas cores, fantasias e alegorias embaladas pelo espetacular samba e enredo desfilado com muita energia e amor. Uma chave de diamante verde e rosa para encerrar e recomeçar a festa da criatividade.

Nenhum comentário: